segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018













                             


                                              "Os inquisidores, (E como os há nestes tempos de Lava  Jato) havendo sabido astuciosamente envolver a sua autoridade com a da Igreja, chegaram a classificar de hereticas as censuras aos actos do tribunal inquisitorial (São heróis intocáveis e  incorruptíveis, como se o excesso de poder não fosse, exatamente, o maior fator da corrupção), abusando da piedade dos fieis estimavam que se confundisse o temor de Deus com o temor do santo officio. Em um antigo livro intitulado Aphorismi Inquisitorum, (Aforismas da Inquisição) publicado em 1650, e que professionalmente tratou primeiro em Portugal da Inquisição, e o qual se pode considerar como um tratado de direito inquisitorial, que acaso serviu de base aos estatutos do Santo Officio promulgados dez anos depois, consigna seu autor, o dominicano Fr. Antonio de Souza, os grandes poderes que se arrogavam os inquisidores, (tal como alguns juízes fazem agora), não contra as autoridades temporaes e eclesiasticas ordinárias, porém contra os próprios soberanos". (Que as autoridades ponham suas barbas de molho, isto no que dá um Estado Policialesco) (Nota 19, p. 179, lin, 34 da Historia Geral do Brasil de Francisco Adolfo de Varnhagen).

















                                                      Hoje amanheci indisposta. Não aguentava trabalhar. O chefe se ofereceu para vir à minha casa trazer o trabalho. Não, não precisava, mas ele insistiu. Assim me assedia. Faço ouvidos moucos, seguindo o conselho de Lacan, para quem fazer-se de surdo, às vezes, vale mais do que ouvir. O chefe me quer de qualquer jeito, todos eles são assim. Muitos já conseguiram de minhas colegas. Qualquer dia você vai perder o cargo, dizem. Uma diretoria não é para todo mundo, ou você acha que está aí por capacidade, ninguém está nem aí para conhecimentos. Pouco importa anos de estudo, doutorado e mestrado. Você está aí porque é bonita, se feia, podia ter a biblioteca do Vaticano na cabeça, jamais ele te daria este cargo. Sei, minha honra não está à venda. Que honra, mulher? Basta lavar, fica novinha. Não sou coisa. Nem é medo de sua mulher, aquela feiosa. Ela não é páreo para mim. Isto também é uma forma de corrupção. Passar para a história como corrupta? Isto, não. 

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018















                                                        Não jogues pedras na lua. Elas não chegam lá. Jogue-as aonde elas possam chegar.
                                É muito comum elegermos como inimigo alguém distante de nós, que nunca podemos alcançar, quando ao nosso lado temos um inimigo muito mais vulnerável do que possamos imaginar.
                                    O que nos faz agir assim? Talvez falta de conhecimento da realidade que aponta para inimigos inatingíveis ou até inexistentes; Talvez, quem sabe, por covardia em enfrentar o inimigo próximo que pode nos abater; Sim todo homem tem momentos de valentia e de covardia. É a necessidade que faz o homem valente. A fera acossada arremete. Se a fera estiver de barriga cheia e não se sentir ameaçada ela jamais te atacará e até corre de ti. Uma cobra não te morde, se não a pisares, se não se sentir ameaçada. Vi um dia o que seria um duelo entre um cascavel e uma coruja. Estavam a menos de metro um do outro. Observam-se. Seria uma briga de vida e morte. Quem vencesse comeria o outro. Esta é a vida. É preciso que tenhamos consciência da realidade, senão seremos vencidos, aniquilados.
                       

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017
















                                                       Repetir nunca é demais. No nosso caso, o silêncio é a alma do negócio. Que ninguém saiba jamais quem, realmente, és. Assim, ninguém  poderá supor teus futuros atos e estarás acima de qualquer suspeita. Deves, sejas homem, sejas mulher, praticar todas as artes marciais, todas as lutas. Um corpo preparado, sempre, em uma mente sã. Não deixes que inimigos sejam mais preparados que tu. O verdadeiro guerreiro nunca descansa, nem à beira do túmulo. Busca seduzir os amigos de teus inimigos. Lembra: Haverá sempre um amigo teu perto de teu maior inimigo. Usa-o como arma. Esta a verdadeira sabedoria. Não tenhas pejo, não tenhas peninha, que teu inimigo não tem pena de ti. Ele te asfixia, te mata a conta gotas, tu nem sentes. Como não tens as armas para fazer o mesmo, só tens um jeito, usar de outras armas, que todas são legítimas para combater o inimigo. 

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

DA, EU SUNT SAYFULLO SAYPOV, UZBEC









                                         
                                                   
                                                 Sim, sou Sayfullo Habibullaevic Saypov, uzbeque,  com orgulho, mas não sou criminoso. Não o fiz por querer, por medo e raiva. Não se mata nem barata, têm sua função. Poucos, pouquíssimos, se beneficiam com a morte. Senhores da vida e da morte. Desenham nosso destino. Quanto dinheiro enviado para a guerra, para a destruição! Eles nos calam. Ai de quem lavanta a voz. Digam-me, o que me resta? Não posso mudar o mundo, fazer refletir, sim. Quero isto. O mínimo. Não é muita coisa. Não quero seguidores.  Reflexão, unicamente. A besta-fera, cara de cavalo em corpo humano, vocifera. Besta ladradora, encontrarás teu Palamades. A mim, nada resta. Esperar vingança, não justiça. Inda na masmorra esteja eu, do infante ao ancião, quero ver. Dar sua risada, tanto esquecida. 

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

EU SUNT STEPHEN PADDOCK

                                           








                                         

                                               

                                                       Sim. Sou Stephen Paddock. Que mal fiz eu, perto das atrocidades do mundo? Milhões choram menos de uma centena de mortos e alguns feridos, esquecidos dos milhões mortos pelas guerras, que nada mais são do que terrorismo de Estado. Não, não é para justificar meus atos, nem quero que me perdoem. Apenas, vejam. Não sou melhor nem pior de quem, hoje, me apedreja. Saibam. Nunca  eles vão te contar a verdade. Mentem dizendo que me matei. Dizem isto com todos. Matam para silenciar as razões de nosso ato. Manter a imagem de país uno, sem divergências. Anos ouvindo. Somos a maior nação e nossa forma de vida, a melhor. E em nome disso, mandam-nos à guerra matar irmãos. Quantos morrem, diariamente,  no mundo por nossas mãos? Um dia recebi um chamado. Uma voz nunca antes ouvista. E me preparei para servir à aquela causa. Inchalá. Deste local privilegiado eu vejo toda a orgia que se perpetra lá embaixo. Ah! humanidade podre, enquanto isto, milhões de irmãos morrem de fome, sede e frio. Nesta hora ninguém se lembra de Deus, mas daqui a pouco todos gritarão seu nome. Canto e risos serão gritos e gemidos. Ouvirá o Senhor, Deus é Grande, seus gritos? Logo, logo o FBI dirá: Um ataque isolado, de um louco, nada a ver com o Estado Islâmico. Até apelido já me dão. Lobo solitário. E como eles explicam ter eu tantas armas? Têm medo de que?  Será o povo imbecil para acreditar neles? Breve o mundo falará de mim, mesmo repetindo as mentiras oficiais, falarão. Outros irão mais longe. Indagarão de minhas razões e refletirão. Quantos estavam com ele?Vocês sabem que não estou sozinho. Alguns estão comigo, agora, mas no mundo, milhares, quem sabe? Milhões. Como eles tratam o povo? Apenas braços, quando não tiverem mais braços, descartam. Eu escolhi outro caminho. Ah, por quê não mostram minha foto de corpo inteiro? Aquela de um homem caído, sem sangue, sem marcas de tiro, sou eu? Quem acredita? Adeus vidinha medíocre de jogatinas e mesmice. 

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

NUMELE MEU ESTE HYPATIA

                                                  
                                 
                                             Eu me chamo Hipácia. Uma tarde em Alexandria. Março, 8, 415, era cristã. Quaresma. Estou vindo do Museu. Uma turba de monges e cristãos em fúria vêm ao meu encontro. Arrancam-me do carro, tomam-me nos braços e aos gritos, arrastam-me pelos cabelos nas ruas, rasgando-me vestes, conduzindo-me ao Templo Cesareum, transformado em templo cristão. Aqui insultam-me, dilaceram meu corpo com conchas marinhas até os momentos finais, quando nada mais vejo, nem ouço. Estou semi-nua e esvaindo em sangue. Em vão gritei por socorro.  Nestas horas o homem é covarde, como covardes quem ultraja. Os seguidores de Cristo e seu bispo Cirilo me atiçam ao fogo, quando não mais sinto o calor das chamas. Assim agem os Cristãos e continuarão agindo per omnia seculum seculorum. O torturador Cirilo é hoje santo da Igreja. São Cirilo, que ironia, um torturador, santo. Será que todos seus devotos sabem disto? Por quê a Igreja esconde seus atos? Não respeitaram nem meus ensinamentos. Fui eu que tive a ideia e transmiti para eles a doutrina da Santíssima Trindade.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

EXECUTAREA

                                                     




                                                      Chamo-me Gaietà Ripoll Pla, hoje, 31 de juliol de 1926 estou defronte a Llotja de València para ser executado. La Plaça del Mercat esta apinhada de gente. Saíam aos montes, da l´esclesia de Saint Joan, sedentos de sangue. Só tenho 48 anos, cheio de forças, o derradeiro a ser executado pela inquisição, se eles não encontrarem outra forma de executar quem não lê na sua cartilha. Minha heresia? Não comer carne, por não fazer mal aos animais, não ensinar a venerar Maria mais que ao Senhor Jesus,  Ave-Maria Puríssima, mas louvado seja Deus, não levar meus alunos à missa, não fazer os alunos sair à porta quando soava a sineta, reverenciar o santo viático, é minha acusação. Quem detém o poder acha sempre um fórmula de condenar um inocente e inocentar um culpado. Foi sempre assim, está sendo assim comigo e o será sempre contra quem desafiar os poderosos.
                                          

sábado, 22 de julho de 2017

CONJURAȚIE,






                                                       
                                                     
                                                       
                                                     Há-de haver um jeito para sair deste labirinto. Haverá de haver uma Ariadne  para nos fiar um condutor que nos leve à saída. Inermes estamos, múticos, mas há-de se acreditar numa luz. Lumina, mas luzir, que seja a mais recôndita, a mais ignorada. Longe de todos e de tudo. Tudo tem de ser estudado, analisado, por poucos, porque o muito tem tendência a afrouxar, a se desleixar e é isto que bota a perder muitos planos. Um segredo não pode ser dito a todos com a mesma integridade. À proporção que se aumenta o número de pessoas, menos parte do segredo deve ser revelado. Infelizmente, esta é a realidade. Se todos souberem a verdade, teus inimigos também a saberão e terão a maneira de te corroer por dentro que nem sentes. Há-de se guardar uma hierarquia do saber. E o que sabes deves levar para o túmulo. Esta a regra maior da nossa conjura: o segredo. O que sabemos não deve ser revelado a um que não seja dos nossos.  Ninguém que não seja dos nossos deve saber da existência de nossa conjura, muito menos do que tratamos aqui dentro. Fia no teu companheiro, mas desconfia de suas amizades. Na presença de um estranho nem uma palavra, nem um sinal de nossa existência. Não atirem a curiosidade de terceiros. Não queiras ser diferente, nem se destacar na multidão. Nossa regra é a discrição.
                                    O local nunca deve ser fixo. Lembra que Lampião resistiu tanto tempo porque não se fixou num só lugar. O inimigo nunca sabia onde encontrá-lo e até era confundido com outros cangaceiros. Poucos conheciam realmente o capitão Virgulino, apesar de sua figura impagável.
                                  Lembra-te que a Igreja Católica, a maior organização terrorista do mundo, permanece intacta até hoje, em razão de sua rigorosa hierarquia e a observância do silêncio. O inferior nunca sabe o que pensa um superior. Os Concílios, verdadeiras escolas de terror, davam as ordens para extermínio de inimigos, mas nem mesmo quem cumpria estes mandatos sabia que obedecia a mando superior. Tudo era doutrinado de forma a ninguém  perceber que estava recebendo ordens. Aqui é o contrário: O segredo é a alma do negócio. Ah se soubéssemos tudo o que se falou nos concílios. Quanto não sofreu o pobre Ário na boca de bispos, presbíteros e outros fanáticos da Igreja. Por isto devemos aprender o bem e o mal para saber exatamente como e quando aplicar um e outro. Se aplicares o bem quando deverias aplicar o mal e vice-versa, atirarás sobre ti todas as maldições do mundo, porque guarda-te de praticar um e outro na hora azada. Lembra-te: O bem e o mal é tudo igual.
                                          
                                             
                                           
                                           

quarta-feira, 12 de julho de 2017

NOUĂ ŞI JUMĂTATE DE ANI

                                                 





                                     
                                   
                                                   Onde está o mundo? Cadê a terra sob meus pés? Oh Deuses, onde estão vocês? Por que não descei, vós,  dos pedestais que os pusemos? Será preciso que o mundo todo se ajoelhe a vossos pés, para descerdes até nós humanos?
                                              Oh, infame que sou, não sei eu, que todos os segredos já me foram revelados antes?
                                                    Não sabia, eu,  que contra as forças do destino,  ninguém pode lutar e vencer?
                                          Não sabia que os donos do mundo impõem o destino daqueles que mostram aos homens como acender o lume?
                                             Oh, antes tivesse eu apagado esta tocha chamejante e deixasse na escuridão os que hoje se mostram ingratos.
                                             Comem-me o fígado em doses mínimas para que sinta maior a dor. 
                                             Oh, ingratos, nunca dantes fostes tão louvados, nunca dantes colhestes tantas flores do jardim humano.
                                              Acorrentado a este penhasco, quando chegará o dia da libertação?
                                                 Que me dizes? Ainda não nasceu meu libertador? Sei, sei mais ainda que tua ciência. E também sei que um novo senhor é sempre severo.
                                                 Tu serás sempre, Oh Poder, destituído de  piedade e capaz de toda ignomínia. 

                                                                            " Os inquisidores, (E como os há nestes tem...