segunda-feira, 21 de agosto de 2017

NUMELE MEU ESTE HYPATIA

                                                  
                                 
                                             Eu me chamo Hipácia. Uma tarde em Alexandria. Março, 8, 415, era cristã. Quaresma. Estou vindo do Museu. Uma turba de monges e cristãos em fúria vêm ao meu encontro. Arrancam-me do carro, tomam-me nos braços e aos gritos, arrastam-me pelos cabelos nas ruas, rasgando-me vestes, conduzindo-me ao Templo Cesareum, transformado em templo cristão. Aqui insultam-me, dilaceram meu corpo com conchas marinhas e insultam-me até os momentos finais, quando nada mais vejo, nem ouço. Estou semi-nua e esvaindo em sangue. Em vão gritei por socorro.  Nestas horas o homem é covarde, como covardes quem ultraja. Os seguidores de Cristo e seu bispo Cirilo me atiçam ao fogo, quando não mais sinto o calor das chamas. Assim agem os Cristãos e continuarão agindo per omnia seculum seculorum. O torturador Cirilo é hoje é santo da Igreja. São Cirilo, que ironia, um torturador, santo. Será que todos seus devotos sabem disto? Por quê a Igreja esconde seus atos? Não respeitaram nem meus ensinamentos. Fui eu que tive a ideia e transmitir para eles a doutrina da Santíssima Trindade.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

EXECUTAREA

                                                     




                                                      Chamo-me Gaietà Ripoll Pla, hoje, 31 de juliol de 1926 estou defronte a Llotja de València para ser executado. La Plaça del Mercat esta apinhada de gente. Saiam aos montes, da l´esclesia de Saint Joan, sedentos de sangue. Só tenho 48 anos, cheio de forças, o derradeiro a ser executado pela inquisição, se eles não encontrarem outra forma de executar quem não lê na sua cartilha. Minha heresia? Não comer carne, por não fazer mal aos animais, não ensinar a venerar Maria mais que ao Senhor Jesus,  Ave-Maria Puríssima, mas louvado seja Deus, não levar meus alunos à missa, não fazer os alunos sair à porta quando soava a sineta, reverenciar o santo viático, é minha acusação. Quem detém o poder acha sempre um fórmula de condenar um inocente e inocentar um culpado. Foi sempre assim, está sendo assim comigo e o será sempre contra quem desafiar os poderosos.
                                          

                                                       Repetir nunca é demais. No nosso caso, o silêncio é a ...